EXCLUSIVO: Tesouro Direto anuncia mudanças e investidor vai ganhar mais!

04 de abril | 2019

Em uma estratégia para proteger o pequeno investidor, o Tesouro Nacional anunciou, com exclusividade, ao Me Poupe! a mudança que vai fazer o seu dinheiro render mais! 

Por Camila Mendonça

Desde que a taxa mãe da economia, a Selic, alcançou 6,5% ao ano muitos investidores começaram a perceber que o Tesouro Selic, dependendo do período de resgate, não parecia ser tão vantajoso em relação a Poupança. Esse título rende conforme a Selic e é indicado para a reserva de emergência ou resgates de curto prazo, pois sua rentabilidade é diária.

Matéria no site Seu Dinheiro desta semana afirmou que o Tesouro Nacional havia “admitido” que, para curto prazo,  o Tesouro Selic não tinha tanta vantagem sobre a Poupança. Foi uma enxurrada de e-mails e mensagens pedindo explicações. E Paulo Moreira Marques, gerente de Relacionamento Institucional do Tesouro Nacional, nos explicou, com exclusividade, que não é bem assim.

Contudo, para evitar qualquer tipo de desvantagem e manter o Tesouro Selic com rentabilidade sempre acima da Poupança, o Tesouro Nacional decidiu fazer uma mudança que vai impactar na rentabilidade desse título, tanto no curto como no longo prazo.

O Tesouro reduziu de 0,04% ao ano para 0,01% ao ano o spread de compra e venda do Tesouro Selic. Esse spread é a diferença entre a taxa de investimento (aquela que você vê na tabela do Tesouro quando vai investir) e a taxa de resgate do título.

Para começo de conversa

Antes de entender como isso vai afetar o seu investimento, você precisa entender algumas coisas.

Primeiro: esse spread existe para proteger o pequeno investidor, pois ele evita que oscilações nos preços resultem em perda para o investidor.

Segundo: sem essa mudança e por conta da redução da taxa Selic, o Tesouro Selic não era rentável em relação a Poupança todos os dias. Isso acontecia porque o Tesouro Selic rende todos os dias e a Poupança só rende no aniversário de 30 dias do investimento. Ou seja, a Poupança tinha um pico de rentabilidade diante do Tesouro Selic.

Essa rentabilidade um pouco menor acontecia, normalmente, nas duas primeiras semanas após o aniversário da Poupança. Ou seja, caso você resgatasse seu título nessas duas primeiras semanas, era provável que a rentabilidade do Selic estivesse menor em relação a Poupança.

Segundo o Tesouro Nacional, essa oscilação acontece não só por causa do spread, mas também por conta da incidência de Imposto de renda e da taxa de custódia da B3, que hoje é 0,25%.

À medida que os meses caminham, contudo, e com o mesmo cenário de taxas e spread, o Tesouro Selic começava a ganhar no longo prazo, como você pode ver neste gráfico passado com exclusividade pelo Tesouro Nacional.

A Poupança, em azul, ganhava em alguns períodos do mês do Tesouro Selic, em laranja. Ainda assim, o Tesouro Selic, no médio prazo, começava a ganhar sempre.

Tá, mas e agora?

Agora, com a mudança, o Tesouro Selic vai levar vantagem sobre a Poupança desde o primeiro mês de investimento, mesmo com a incidência de imposto e de taxa de custódia. E independentemente da data de resgate do título!

Veja o gráfico, considerando a mudança!

Agora, com a mudança, o Tesouro Selic já ganha da Poupança no primeiro mês.

 

Ainda não entendeu? A Nath fez um vídeo explicando tudo o que você precisa saber sobre essa mudança!

Você também pode gostar

Tesouro Direto: passo a passo mais simples e prático!

Tesouro Nacional alcança mais de 1 milhão de investidores e deve ultrapassar meta para 2019

5 MAIORES DILEMAS SOBRE TESOURO DIRETO! Leia e invista hoje

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Giovanna 04 de April | 2019

Boa noite, Nathalia. Diante deste assunto, a minha dúvida é: para investimentos a longo prazo, o que se tornou mais vantajoso? O tesouro selic ou o ipca? Ainda sou leiga no assunto mas comecei a pesquisar sobre pois pretendo começar a investir esse mês. Minha pretensão é investir um valor X mensalmente e resgatar esse dinheiro daqui a 20 anos em média.