Especial Namorados: Top 5 dicas para o dinheiro sobreviver ao casamento

12 de junho | 2020

É isso mesmo que você leu. Não há dinheiro de casal que sobreviva a um casamento se você não souber essas dicas agora! Se você quer saber como dividir as contas e a vida financeira com o crush, você está no texto certo!

Por Me Poupe!

Ah, o amor…o amor vence tudo…MENOS UMA VIDA FINANCEIRA DESORGANIZADA! Não há dinheiro de casal que sobreviva a um casamento e não há casamento que sobreviva a problemas financeiros. Segundo pesquisa do SPC Brasil, 46% dos casais brasileiros brigam por causa de dinheiro. E ninguém quer assumir a responsabilidade: 51% afirma que a culpa pelos problemas financeiros é do parceiro ou da parceira.

Não é de surpreender que dinheiro é um dos principais motivos para divórcios. Mas não precisa ser assim! Eu, Me Poupe!, estou aqui pra salvar o seu bolso e a sua história de amor! Não precisa me agradecer!

 

Neste texto eu vou te dar 4 top dicas para o dinheiro sobreviver ao casamento e vocês viverem felizes para sempre!

Atenção aqui! Em primeiro lugar, preciso que você e seu amor façam isso juntos. Não adianta nada você pegar todas essas dicas se a pessoa que vive com você não quiser seguir essas dicas…Antes de qualquer coisa, conversem! Fala para a sua crush e seu crush que essas dicas são para garantir que os sonhos de cada um não fiquem pra trás.

Agora sim! Vamos às dicas de amor!

1. Tenham contas bancárias separadas!

Me Poupe! paz e amor acabou logo nessa primeira dica. Eu já cansei de falar pra vocês pararem com essa história de conta conjunta! Eu estou cansada, exausta de explicar isso!

Vocês são indivíduos e não siameses! Cada um tem responsabilidade pelo o que ganha e pelo o que gasta também! As contas precisam estar separadas para justamente garantir a individualidade e a independência de cada pessoa que forma esse casal maravilhoso! Sem contar que não existe conta conjunta para investimento!

A sua independência financeira é responsabilidade apenas sua e não do seu parceiro ou da sua parceira!

#PRATODOSVEREM: Nath Arcuri com as mãos na cabeça dizendo “UAU “

 

2. Saiba quanto cada um ganha

Eu vi daqui que você torceu o nariz! Como vocês querem resolver a vida de vocês se não sabem quanto cada um ganha? Não quero saber de dinheirofobia nessa relação!

“Mas Me Poupe!, por que isso é importante?”

Porque é a partir desse conhecimento que vocês vão conseguir dividir as contas do jeito certo, investir nos sonhos de casal do jeito certo e avançar para as próximas dicas que vou te contar.

Não tenha medo de perguntar. Uma relação saudável tem a transparência como base!

3. Tenha metas individuais

Se você já tremeu na base com a dica 2, agora é que o bicho começa a pegar ainda mais. Lembra que eu disse que vocês não eram gêmeos siameses e, sim, indivíduos com seus próprios sonhos e gostos? Então, é aqui que essa individualidade se expressa.

Não dá pra fazer tudo junto, gente. Não existe isso em um relacionamento saudável. Quando você só faz e segue o que a sua parceira ou o seu parceiro faz, você se anula!

Como você mostra que você não está anulada e anulado nessa relação? Tendo as suas próprias metinhas, metas e metonas. E a pessoa que está com você não precisa querer as mesmas coisas. Ela sequer precisa concordar com você, ou gostar do que você quer. Ela apenas precisa te apoiar. Quando vocês definem metas individuais, nenhum dos dois fica se metendo no que você vai comprar e fazer com o seu dinheiro individual. Daí, aquelas brigas por “gastar com bobagem” não acontecem. Porque aquilo que é “bobagem” pra você, pode ser a meta da sua parceira ou parceiro. E você não tem nada a ver com isso!

Coloque no papel tudo aquilo que você quer pra você: alguma coisa que quer comprar, algum curso que quer fazer, alguma viagem dos sonhos. Quais são as suas metas?

Se quiser saber como se estrutura uma meta, a Nath fez esse vídeo bem detalhado pra você entender!

4. Tenha metas de casal

Sim, você é um indivíduo e pode querer coisas diferentes da sua parceira ou do seu parceiro. Mas como vocês são um casa, é bem provável que tenham interesses e desejos mútuos. Se não tiverem, bem…daí é estranho.

“Mas Me Poupe!, como assim?”

Em primeiro lugar, não sou nenhuma especialista em romance. Mas, pensando em vida financeira, se vocês não tiverem metas em comum, é mais fácil o dinheiro ser um problema e não uma solução. Isso porque cada um vai tender a apenas realizar as próprias metas, sem considerar o outro…Viu o problema?

Então, é por isso que ter metas em conjunto não é apenas saudável para a relação, como também vai mover os dois a economizar e investir para atingir essa meta! E aí? O que vocês querem como casal? Comprar um carro, uma casa, uma viagem, ter um filho? Que planos vocês vão dividir?

5. Defina o limite de gastos do casal

Aqui é que a criança chora e a mãe não vê!

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri, com as mãos na cabeça, diz “De repente falei: caramba!”

Se tem uma questão que gera brigas e mais brigas entre os casais é a divisão das contas de casa. Eu, sincera que sou, preciso de falar duas realidades que talvez doam:

1.  O custo de vida do casal não deve ser dividido por igual! Se vocês custam 2 mil, a conta NÃO É 1 mil pra cada um!

2. Quem define a regra do quanto cada um vai gastar para a vida em casal é QUEM GANHA MENOS!

É isso mesmo que você leu: é quem ganha menos! Por quê? Porque normalmente é quem se ferra mesmo. É por isso que ela dita a proporção de gastos o casal!

Vamos aos números, porque eles não mentem jamais!

Joaquim ganha 2 mil reais e Joaquina ganha 3 mil reais. Quem define quanto o quanto vai investir na vida de casal é? Isso mesmo: Joaquim!

Ele define que ele vai custear 1 mil reais da vida do casal, porque ele sabe que pela regra 70/30, da Nath, ele precisa investir 30% do que ele ganha para as metas individuais dele e para a aposentadoria e 70% para viver, considerando o que é essencial pra ele, como indivíduo, e essencial para o casal. Assim, ele percebeu que 1 mil reais não compromete o futuro e as metas dele.

Quanto Joaquina precisa colocar na vida de casal? 1 mil também? É CLARO QUE NÃO!

Lembra: o custo não será igual, mas a proporção sim! Quando Joaquim define que vai colocar 1 mil na vida do casal, isso representa 50% do salário DELE. Assim, Joaquina precisa colocar também 50% do salário DELA na vida a dois: isso é 1,5 mil reais!

O valor é diferente, mas os dois estão colocando a mesma proporção na vida de casal: 50% do salário de cada um. Mas quem definiu que seria 50% foi Joaquim, porque ele ganha menos. O que ele considerou

6. E quem paga a conta?

Agora você já sabe que conta fazer pra definir quanto cada um vai colocar na vida a dois e o que levar em consideração pra fazer essa conta. Então, a pergunta que você deve estar se fazendo é: como divide as contas?

Aí quem vai dar a resposta é você mesmo! Lembra do Joaquim e da Joaquina? Joaquim tem 1 mil pra custear e vida a dois e, pela regra, Joaquina colocará 1,5 mil. Ou seja: os dois precisam custar 2,5 mil reais. Nessa conta estão os gastos essenciais e também as metas de casal.

Se você vai pagar a conta de luz, água, gás e a sua parceira ou seu parceiro vai pagar o condomínio ou o jantar do final de semana, é uma decisão que vocês vão ter de tomar, considerando o que cada um pode contribuir individualmente para a vida de casal.

Se você é o Joaquim e tem 1 mil para a vida de casal, não importa quais contas você vai pagar, desde que o total dessas contas não ultrapasse os 1 mil reais.

Ufa! Depois dessas dicas eu só espero que vocês vivam felizes para sempre. E ser perrengues financeiros, por favor! Já pega o link desse texto maravilhoso e já manda para o crush ou para a crush. Ou para aquele casal de amigos que vive brigando por causa de dinheiro. Vai que neste mês dos namorados, você não salva um casal?

#PRATODOSVEREM: Nath Arcuri dizendo “Quem avisa amigo é”

Você também pode gostar

Casamento em casa: 6 dicas de decoração para gastar menos!

5 Lições sobre dinheiro para ensinar aos filhos

5 Dicas para chegar ao primeiro milhão ganhando pouco (Parte 1)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a deixar seu comentário