Como a busca pela aprovação dos outros pode te empobrecer?

15 de maio | 2020

A busca pela aprovação dos outros pode estar te deixando mais pobre e você nem se deu conta disso que eu sei! Se você quer entender como isso acontece e como se livrar disso, vem comigo que eu te explico!

Por Leila Sleiman

AH! O outro…esse ser pra quem a gente dá muita importância, não é mesmo? Ter a provação dos outros pode estar te limitando e você nem está se dando conta disso

É claro que a gente tem de ter uma visão do coletivo, que temos de ajudar os outros e olhar para o outro desse ponto de vista. Agora, regrar sua vida para ter a aprovação dos outros é te limitar – principalmente financeiramente!

“Me Poupe!, como assim?”

Chamei a Leila Sleiman pra te explicar o que tudo isso significa e como essa busca pela aprovação alheia tá deixando você mais pobre! Já pega esse post e compartilha com aquela pessoa que você sabe vai abrir os olhos quando terminar de ler!

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri, com as mãos na cabeça dizendo “De repente falei: caramba!”

 

A aprovação dos outros

Natasha é generosa desde pequena. Ela sempre tirava algo de si para dar para suas coleguinhas da escola.

Mesmo em atividades de lazer, ela se vestia de forma impecável, pois sabia que assim iria obter elogios das pessoas.

Era uma menina inteligente, mas em casa ninguém reforçava suas qualidades.

Sua mãe era rígida e o carinho era condicionado a algo. Ou seja, ela entendia que precisava fazer aquilo que era esperado pela mãe para ser amada.

Hoje, adulta, ela é a pessoa que empresta dinheiro para a sogra. Além disso, diversas vezes paga a conta das amigas quando saem e seu cartão de crédito fica no limite todo mês.

O que acontece com a Natasha talvez aconteça com você também!

Ela tem o que chamamos de uma orientação para os outros. Ou seja, ela foca excessivamente na busca pela aprovação dos outros, nos desejos e sentimentos dos outros para se sentir amada. Frequentemente, ela se priva de mostrar suas ideias, necessidades ou vontades para obter a aprovação dos outros. É aí que mora o perigo!

Você busca também?

Será que você também tem essa busca? Reflita sobre essas ações e atitudes. Então, se atente se você também age assim:

  • Procura a admiração das pessoas através do status;
  • Precisa sempre mostrar que está bem;
  • Foca muito na aparência;
  • Sente a necessidade de provar que não é inferior através de itens de marca como vestimentas, acessórios ou até mesmo carros;
  • Compra algo para fazer o vendedor ver que você tem condições financeiras;
  • Exibe-se esperando o reconhecimento dos outros.

Então? Você age assim também? Então, presta atenção!

#PARATODOSVEREM: Nathalia Arcuri está sentada em um sofá com manta de listras brancas e pretas. Ao fundo, elementos adesivos brancos e pretos que remetem ao universo financeiro. Com as mãos levantadas, Nath diz “PRESTA ATENÇÃO”

E por que você faz isso?

O ambiente em que você foi criada e criado ensinou que a aceitação pelos outros era condicionado ao que você faz. Assim, você desenvolveu um padrão de busca de aprovação e reconhecimento na qual há uma procura constante por amor, atenção e aprovação dos outros.

E o que o dinheiro tem a ver com isso?

Em primeiro lugar, você desenvolveu uma autoestima condicionada aos outros te aceitarem, em detrimento de si mesma(o). Desta forma, você tem um foco excessivo no seu status, aparência. Adivinha o que paga esses boletos? Seu salário, seu dinheiro. Você usa o seu dinheiro para obter aprovação social.

Você sabe que é socialmente bem vista(o) e desejada(o) aquela(e) que mostra ter uma ótima situação financeira. Mas o problema é você acreditar que somente é amada(o), valorizada(o) e aceita(o) por esses fatores.

E agora?

Em primeiro lugar, pode tirar da cabeça a crença de que as pessoas irão te rejeitar, retaliar ou abandonar se você parar de exibir coisas caras que você não precisa. Pode ter certeza: muita gente não está reparando naquilo que você pensa que ela está.

Pode até ter gente do seu círculo que vai estranhar você parar de emprestar dinheiro, pagar a conta ou se exibir. Mas também tem aqueles que realmente têm um apreço por você e continuarão a te admirar, valorizar e amar do mesmo jeito.

#PARATODOSVEREM: Nath com cara de feliz como quem diz “entendeu, né?”

O dinheiro é importante, necessário e proveitoso quando você o controla! Ser refém dele te coloca numa situação incômoda e é isso que acontece quando você vive dessa forma. É essencial ter uma boa condição financeira para viver bem, mas não para as pessoas gostarem de você.

Próximos passos

Agora que você entendeu que não precisa esbanjar dinheiro para as pessoas gostaram de você, é preciso fazer um exercício. Você precisa pensar o que é importante pra você! Quais são os seus valores? As coisas com as quais você gasta são importantes pra você?

Tá tudo bem o status ser um valor pra você. A gente não tá aqui pra julgar o que é importante pra você. Mas se você se ferra financeiramente pra manter esse status, é porque você está vivendo fora da sua realidade financeira!

Se status ou liberdade ou conforto (não importa) são valores importantes pra você, faça esses valores caberem dentro da sua realidade. A partir daí, você vai trabalhar as suas  metas alinhadas a esses valores. E buscar formas de fazer mais dinheiro, de forma lícita, para pagar o que é importante pra você sem comprometer a sua saúde financeira, seu futuro e seus outros planos.

Invista o seu dinheiro naquilo que faz sentido para você e não no que suas crenças fazem você achar que os outros esperam de ti.

Viver a base da aprovação dos outros é cansativo e prejudica sua saúde mental e financeira!

Faz sentido para você? Conhece alguém que pode se beneficiar dessa reflexão? Envie esse texto pra ela! Ela vai te agradecer depois! 🙂

Você também pode gostar

Como a independência pode impactar a sua vida?

Como evitar as compras por impulso?

5 perguntas e 3 lições da Nath para te ajudar a ter foco

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a deixar seu comentário