Tudo sobre o CDB!

25 de agosto | 2015

Por Cintia Senna

Para muitos, falar em aplicações financeiras parece um bicho de 7 cabeças, mas com um pouco de conhecimento, informação e curiosidade, verá que não é lá tão complicado entender seu funcionamento, e o melhor, como elas podem trazer benefícios ao nosso dinheiro poupado.

Hoje quero compartilhar com vocês, seguidoras do Me Poupe!, mais informações sobre uma das aplicações financeiras existentes, que tanto quanto o Tesouro Direto, pode sim rentabilizar seus recursos, e assim, te ajudar a diversificar suas opções de onde investir: o CDB.

Vamos lá!

O que é?

Primeiro, vamos desvendar o que significa as letras dessa aplicação: CDB (Certificado de Depósito Bancário), traduzindo para nossa realidade, é um título que o banco gera a seu favor, garantindo que no vencimento dele, você receberá o valor emprestado ao banco com um rendimento.

Simplificando mais ainda:

Você empresta um dinheiro para o banco, e ele te devolve com juros.

E ai você deve se perguntar:  Por que o banco quer meu dinheiro emprestado, se ele já tem tanto?

Então, acontece que o banco funciona de duas formas, ele capta recursos financeiros para emprestar para outras pessoas. E com isso ganha na diferença de juros entre o que ele vai pagar e o que ele vai receber (famoso spread). Ele é um intermediário entre quem tem dinheiro sobrando e quem tem dinheiro faltando (espero que você esteja do lado que está sobrando).

Acredito que até aqui, deu para entender o que é, e como o banco trabalha com esse dinheiro aplicado, certo? Vamos continuar e entender como ganhamos com isso.

Como eu ganho com isso?

Bem, para que compense para nós investidores deixar o dinheiro lá no Banco, ele tem que nos dar algo em troca, que são os juros, e no mínimo que renda um pouco mais que a famosa Caderneta de Poupança.

Esses juros podem ser pré definidos quando você aplica (são os prefixados), ou depender de um indexador (Selic, TR, CDI). Isso significa que a rentabilidade vai depender da variação dessas taxas.

Agora eu compliquei né? Vou exemplificar:

Prefixado (quando eu aplicar já sei exatamente quanto irei receber)

Vamos aplicar R$ 100,00 no CDB do Banco Qualquer que vai nos pagar 12% de juros ao ano.

Ou seja, após os 12 meses, terá rendido R$ 12,00.

Pós-fixado (só saberei exatamente o valor exato no resgate. Vai depender da variação do Indexador)

Vamos aplicar os mesmos R$ 100,00 no CDB do Banco Qualquer que vai nos pagar 100% do CDI (certificado de depósito interbancário) juros ao ano. (Sendo que para título de exemplo o CDI esteja 13,00%)

Ou seja, após os 12 meses, terá rendido R$ 13,00.

Assim sendo, quando do rendimento, você terá que arcar com o imposto de renda, que será cobrado no momento do resgate e vai variar conforme o prazo que deixou o recurso aplicado no banco. Nos exemplos acima, pagaríamos 20% de imposto sobre os rendimentos.

1º                                                                                          2º

Aplicação: R$ 100,00                                                     Aplicação: R$ 100,00

Rendimento: R$ 12,00                                                 Rendimento: R$ 13,00

Imposto: (R$ 2,40) – 12,00 * 20%                             Imposto: (R$ 2,60) – 13,00 * 20%

Resgate: 109,60                                                              Resgate: 110,40

Taxa líquida: 9,60%                                                       Taxa líquida: 10,40%

IMPORTANTE! 

A título de curiosidade, a cobrança do imposto de renda é da seguinte forma: se deixo o dinheiro aplicado até 6 meses, pagarei 22,5% de imposto sobre o rendimento, se deixo de 6 meses até 1 ano, esse percentual altera para 20%, já para aplicações de 1 ano até 2 anos, o percentual é de 17,5% e acima desse prazo, é de 15%. Ou seja: é beneficiado aquele que consegue planejar, poupar, e guardar por mais tempo.

Muitos devem pensar: “Pra que aplicar um valor nesse tipo de investimento e ainda ter que pagar imposto de renda? Melhor eu ficar com a minha poupança que não pago nada…”

Infelizmente é a visão da maioria da nossa população. Garanto a você que no atual cenário econômico você estará ganhando muito mais do que ficando na poupança, mesmo pagando o imposto.

Para que você se anime mais ainda, quando for aplicar, escolha título que garante no mínimo 9% de rendimento ou 65% do CDI (taxa Selic à 14,25%). Que mesmo com o IR te trará melhor retorno que a poupança. Vai ver que eles pagam muito mais que isso.

Em tempo: a rentabilidade anual da poupança está em torno de 6,5% (bem abaixo dos CDBs que cobram IR)

Vale aqui mais um detalhe desse tipo de aplicação: Ela oferece a opção de aplicar com data certa para resgate, ou seja: Você  aplica agora e só poderá ver o dinheiro mais o retorno no dia do vencimento. Porém tem também aquelas que mesmo com o vencimento, você pode resgatar a qualquer momento.

Assim como a Caderneta de Poupança, os CDBs também contam com a garantia de até R$ 250.000,00 por CPF do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Por onde começar?

Basta acessar sua conta corrente pela internet, ir ao caixa eletrônico ou tratar diretamente com o gerente.

Verifique o valor mínimo que pode aplicar e não esqueça de verificar as taxas cobradas pelo banco (que é 0 no caso do CDB) e confirme quanto o banco vai te remunerar, bem como o prazo que precisa deixar o dinheiro lá.

Você poderá acessar sua conta diariamente pra verificar o extrato da sua aplicação que contém os valores que aplicou, valores de rendimento, estimativa de imposto de renda e valor para resgate.

Que tal começar agora?

Só mais um detalhe:  Para qualquer investimento que for fazer, coloque um propósito, objetivo, meta, assim você sempre saberá o motivo pelo qual está investindo. Investir por investir, vai fazer você retirar o dinheiro, desanimar e gastar com o que nem é tão importante assim.

Cintia Senna CINTIAé graduada em Ciências Contábeis pela Universidade São Judas Tadeu (2008), Pós-Graduanda em Controladoria de Gestão pela FECAP e em Educação e Coaching Financeiro pela DSOP/Unis. Cursou educação executiva em Planejamento Financeiro Pessoal pelo Insper/IBCPF (2014), e Formação em Educação Financeira pela DSOP (2015).  É responsável pelo blog Viver Melhor com Educação Financeira, realiza palestras, treinamentos e atendimentos individuais, familiares e para pequenos e médios empreendedores.

 

 

 

 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Joyce 30 de May | 2018

Por favor, é possível o CDI ser negativo? com isso é possível ter rentabilidade negativa no LCA e LCI?

Daniel soares 14 de February | 2018

Primeiramente gratidão a Deus pela vidas de vcs todos , Nathalia enpoderada de sinpatia , cintia vc e top toda adiministracao que trabalham para ajudar pessoas como eu que sem nunhuma expectativa de poder conhecer esse mercado de investidores , mais com um sonho de que podemos realizar sim todos nossos sonhos quando quando estao centralizados em Deus . E tamb aos investidores de todo esse trabalho, estou comencado a aconpanhar e ja estou muito inpactado , espero muito um dia conhecer vcs obg

queli fernanda guimaraes ribeiro 07 de February | 2018

Amei o post estou com dinheiro e quero investir e finalmente entendi o tal CDB

Gustavo Rocha 27 de November | 2017

Olá, muito bom o blog, já assisti vários vídeos, obrigado! Gostaria muito de saber a sua sugestão sobre o que é melhor, um CDB IPCA + 6% ou um CDB 120% da CDI???

Roney 13 de October | 2017

Hmmm, a diferença para poupança então seria o fato de no CDB você "se obrigar" a deixar o dinheiro investido por mais tempo...isso?! Por isso pagam uma rentabilidade melhor. Valeu de novo Me Poupe, tá sendo quase uma viagem no tempo esse blog. Pego posts de 2015, 2017, 2016...hehehe! ;D

Daniel 21 de July | 2017

Boa tarde, tudo bem? Parabéns pela matéria. Como saberei se o CDB é prefixado ? Estou acessando os CDBs de uma corretora e aparece: o Banco, o prazo, a taxa e o indexador: CDI e IPC-A apensa. E não sei se não entendi muito bem, mais o IPC-A é atrelado a inflação e o CDI tem variação anual.

Erick Rodrigues Pereira Correa 26 de May | 2017

Tenho algumas dúvidas sobre o CDB Posso fazer depósitos mensalmente? Se sim . A partir de qual valor? Posso resgatar antes do vencimento? Como vou saber quanto vou perder fazendo isso? Como saber se tem liquidez diária?

Jardel Souza 19 de March | 2017

Então o CDB é o tipo de investimento que eu posso resgatar meu dinheiro a qualquer momento, ou seja, a médio/curto prazo quando acontecer imprevistos?

Bruna Fugulin 18 de March | 2017

Nat, é possível realizar aplicações mensais em CDB, LCA e LCI?! Como funciona a rentabilidade e o desconto de IR neste caso?! Conheci seu canal e blog tem pouco tempo e estou amando! Já estão me ajudado muito.

Ana Carolina 28 de February | 2017

Ótimo artigo, parabéns! Gente, meu banco disse que ano passado o rendimento anual do CDB foi de 1% e me ofereceu para investimento em 94% do CBD. O que é esse 1%?

Vinicius 04 de January | 2017

E a ContaMax CDB DI do Santander, vale a pena? Tem IOF, IR, enfim, mas como o dinheiro fica parado na conta corrente, mesmo se render bem pouco, será que é vantajoso?

Isaú 21 de December | 2016

Boa tarde, Primeiramente agradeço os conhecimentos transmitidos. Tenho aprendido bastante com o canal do youtube e aqui no site.:D Minha dúvida, caso eu contrate um cdb pela easyinvest, assim como no tesouro direto, não terá taxas ou pagarei alguma como no banco (taxa de carregamento,saida..etc)? Outra coisa, vamos supor que o banco ao qual pertence o cdb quebre. Para o resgate do cdb pelo FGC as taxas também seram zero? Esse dinheiro de garantia do FGC eu recebo online também ou terei que ir até uma agência do "banco falido"? Agradeço a ajuda.

Tathiana 22 de November | 2016

Existe algum CDB com rentabilidade diária? Como funciona? Muito obrigada! ;)

André Henrique 04 de November | 2016

Olá Nath, tudo bem? Se vc puder me tira uma duvida... no CDB eu posso ir aplicando mensalmente também? E também no proprio CDB se rende juros compostos? Otimo blog e canal do youtube... valew pelas dicas! Abraços e bjsss!!!

Nathalia Arcuri 13 de December | 2015

MOMENTO EURECA! Fico feliz por você estar usando as lentes de contato da amplitude de realidade financeira! Beijos e até!

Márcio Morais 12 de December | 2015

Finalmente um jeito, não tão chato, de entender de forma clara como é investir em títulos. Estou todo dia vendo e revendo os videos e dicas, e pegando gusto em investor em tesouro. Falando assim, de forma simples e objetiva, nos dá mais segurança até, pois termos muito técnicos, deixam os leigos (eu, por enquanto) com receio de cair em uma furada, mesmo já sabendo que poupança naõ é tudo nessa vida, alias, poupança é NADA, na verdade, é apenas uma desculpa a dizer que se esta poupando, quando na verdade nem está.

admin 27 de August | 2015

Elogios transmitidos! A Cintia é realmente uma excelente parceira! Foi um achado... Continue acompanhando os posts do Me Poupe! volte sempre!

Jusivaldo Almeida 25 de August | 2015

Cíntia Senna, vc é uma grata surpresa que surgiu no meio das finanças comportamentais e pessoais. Parabéns, ótima colaboração.