Livre-se das dívidas em 2015!

A sua mãe vai dizer que você fez uma grande besteira e talvez se pergunte aonde errou na sua educação, os economistas vão dizer pra você colocar na ponta do lápis o quanto paga de juros todos os meses, o gerente do banco vai te oferecer uma dívida mais barata no lugar daquela outra, o seu namorado vai mandar você vender o carro e o seu cunhado… bom o seu cunhado não precisa opinar.  Como eu também adoro dar pitacos na vida financeira alheia, não me contive. Veja aqui alguns caminhos pra se livrar das dívidas em 2015 e que isso não seja mais uma promessa de ano novo!

Por Nathalia Arcuri

 Este ano pela primeira vez na vida senti na pele a aflição de estar em dívida. E foi horrível!

Fiquei R$3.500,00 negativa durante 15 dias por um erro de gestão do meu gerente… querido gerente. SQN

Como o equívoco foi do banco (querido gerente SQN), me livrei dos R$300,00 de juros que se abateram sobre mim naquele pífio espaço de tempo!  Ufa!

Mas a experiência foi boa pra que eu percebesse que até mesmo quem conhece os trâmites financeiros fica completamente maluco com a possibilidade de estar devendo dinheiro e pagando juros altíssimos por uma falha cometida seja lá por quem.

É desse desespero que vem a minha primeira sugestão para o fim das dívidas:

 
ACALME-SE!
 
O descontrole emocional é mais perigoso do que a dívida em sí. Ele vai fazer você meter os pés pelas mãos, confiar em pessoas e empresas que não são confiáveis e pior: pode te botar num buraco chamado depressão.

 
Dados importantes!
Uma pesquisa da O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://saude.estadao.com.br/noticias/geral,dividas-geram-estresse-e-dezenas-de-doencas-cronicas,186574Associated Press – AOL Health nos Estados Unidos estima que 16 milhões de americanos têm prejuízos físicos e psicológicos provocados pelas dívidas. E não pense que é unha encravada, não! Entre as doenças mais citadas estavam a úlcera de estômago, que pode levar ao câncer, enxaqueca, ansiedade e depressão severas, que podem levar ao suicídio.

Credo!

Depois desse texto ai de cima digno de verso de embalagem de cigarro, faça o seguinte: aproveite os últimos dias do ano para relaxar e estar entre as pessoas que te acalmam, não aquelas que botam pilha no sofrimento. Ignore seu cunhado, divirta-se ao máximo e somente então parta para o passo 2.

Descubra o tamanho da dívida!

Se você pagou apenas  R$200,00 da fatura de R$2.000,00 do cartão de crédito, sinto muito, mas isso automaticamente te colocou no banco dos devedores.  Agora você deve R$1.800,00 para o cartão a juros que variam entre 10% a 20% ao mês.

Isso significa que se você está empurrando essa fatura com a barriga há oito meses, já acumulou uma dívida de no mínimo R$3.858,46. São R$2.058,46 só de juros.

Socorro!

(Isso foi o meu inconsciente falando alto, desculpe)

Pra saber quanto deve exatamente, crie coragem e abra a correspondência do credor, ou dos credores. Muitas vezes elas até trazem boas notícias, como a oportunidade de renegociação ou de um belo desconto para o pagamento da dívida à vista.

Defina uma estratégia de pagamento!

Ninguém quer viver com o rótulo de devedora pendurado no pescoço, ainda mais quando o nome vai parar em instituições de proteção ao crédito, como o Serasa e SPC.  É chato ficar suja na praça e pra sair dessa situação da melhor maneira possível o grande segredo é o auto-conhecimento. Você precisa saber como anda cuidando das suas finanças e conhecer o seu próprio buraco (por pior que isso possa soar).

Responda as perguntas abaixo: 
Para onde vai a maior parte do seu dinheiro?
Quanto gastou desnecessariamente este mês?

Quando foi a última vez que tirou um extrato ou acessou o internet banking e qual era o saldo?

Se você conseguiu responder a todas essas perguntas, já é um bom sinal, ainda que as resposta não seja boa…

Sem o controle dos seus gastos, como você vai querer quitar as dívidas? Faça-me um favor e comece hoje mesmo a fazer a auto-análise, tá?

Pesquise saídas

Existem inúmeras maneiras de sair da bola de neve provocada pelas dívidas vou citar algumas e sugerir pra quem elas são mais indicadas:

Renegociação: Pra quem pegou dinheiro emprestado com o banco e não conseguiu cumprir o combinado. Converse com o gerente e peça uma revisão das parcelas para que elas caibam no seu orçamento.

 

 

Empréstimo pessoal: Pra quem tem uma dívida de juros muito altos, como o cartão de crédito. Pegar dinheiro emprestado para pagar outro dinheiro que você pegou emprestado antes pode parecer uma maluquice, mas as vezes funciona. Veja o exemplo anterior. Vale a pena trocar uma dívida com juros de 10% ao mês por outra de 2%? vale! Desde que essa nova dívida esteja dentro das suas possibilidades, claro.

Venda de itens pessoais:  Pra qualquer pessoa que esteja precisando de dinheiro e tenha algo de valor para vender. Um carro, uma geladeira, um carrinho de bebê… Não subestime o valor de mercado de objetos encostados e sem uso. Juntos, eles podem garantir uma parcela importante da sua dívida!

Recapitulando: 

Se você tem uma dívida e quer quitá-la no próximo ano organize-se. Trabalhe mais se for necessário, mas mantenha a calma e defina o passo a passo desse seu processo de libertação!

Garanto que cada esforço vai valer a pena.

Que o seu 2015 seja livre de dívidas e que sejamos todas cada dia mais felizes!

Ano que vem estarei de volta com muitas novidades!

Enquanto isso não acontece, aproveite para conhecer mais o blog e ler artigos que normalmente você não leria. Isso pode te abrir um mundo de oportunidades!

Até lá!

Nathalia Arcuri – Me Poupe

photo-nathalia

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Me Poupe! no seu email

Cadastre-se, é na faixa!

Nathalia Arcuri

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Um comentário em “Livre-se das dívidas em 2015!

  • 24 de junho de 2016 a 2:39 pm
    Permalink

    Boa tarde!

    Existe algum tipo de limite para renegociar as dividas ? Por exemplo cai no buraco negro do cartão de credito, cai não fui jogado, mas isso pro erro meu.

    Devia mais de 30 mil no cartão de credito, tive que parcelar tudo e o juros foi na estratosfera e o valor da parcela ficou muito mais alto do que eu imaginava, já paguei algumas parcelas é muita loucura da minha parte se eu refinanciar o saldo para diminuir essa parcela ?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *