Consórcio ou Financiamento? Tire suas dúvidas e faça a melhor escolha.

 

Ter um teto, um canto pra chamar de seu ou uma mansão é o sonho de 7 entre 10 brasileiros (os outros 3 já têm).

A questão é: qual é a melhor maneira de fazer isso em meio a tantas opções e opiniões?

Esta é uma dúvida que chega com frequencia aqui no Blog e no canal do MePoupe! no YouTube e por isso achei que estava mais do que na hora de falar sobre as vantagens e desvantagens do financiamento X consórcio, opções mais procuradas por quem sonha com a casa própria.

Muita calma nessa hora!

O artigo que você vai ler agora foi preparado pelo Vitor Hernandes, um dos fundadores do excelente Jornada do Dinheiro, nosso parceiro de conteúdo, que de um jeito bem simples dá a real pra você que ainda está em dúvida se casa, financia, faz consórcio ou compra uma bicicleta.casa-ou-compra-uma-bicicleta

Após a leitura, deixe seu comentário, compartilhe este post e ajude mais pessoas a encontrarem o caminho da educação financeira sem “economês”.

Aproveite!

Beijos, Nath Arcuri

Quero Minha Casa! Faço Consórcio
ou Financiamento?

Consórcio ou FinanciamentoPor Vitor Hernandes, Jornada do Dinheiro

O sonho da casa própria é algo ainda muito enraizado em nossa sociedade.

Como a própria Nathalia já falou no artigo “Alugar ou comprar um imóvel?”, nossos pais falarão que devemos ter algo nosso e farão de tudo para desistirmos da ideia de morar de aluguel. Nossos “amigos” olharão para nós com pena: “nossa, coitado… está morando de aluguel, não conseguiu nem o seu cantinho…”

Tudo bem então! Não quero ficar mais aturando essas coisas, mesmo sabendo que financeiramente não é tão bom assim! Estou decidido que quero minha casa! Como fazer agora?

Obviamente, no mundo ideal, devemos pagar à vista para não acumular dívidas e, de quebra, conseguirmos um belo desconto!

Infelizmente, sabemos que acumular o valor de um imóvel não é nada fácil. Justamente por esse motivo é que a maioria das pessoas acaba entrando em grandes “encrencas” sem saber ao certo o que estão fazendo.

Contratam consórcios sem ao menos ler direito sobre suas regras. Os vendedores de consórcio sempre chegam com a história de que “você conseguirá ser contemplado bem rapidamente. É garantido!”

Porém, o consórcio depende de sorteio ou de você dar lances realmente altos que possam garantir a contemplação com a carta de crédito. E mesmo assim não é garantido que conseguirá dar o melhor lance.

Já no financiamento, muitas pessoas contratam com o prazo mais longo possível para deixar as parcelas pequenas e cabendo no bolso. No entanto, quanto maior o prazo, mais juros você estará pagando.

Vejamos então as principais características entre consórcio e financiamento para tentar decidir qual seria o mais vantajoso:

Consórcio x Financiamento

Consórcio:

– Pagamento de taxa de administração, fundo de reserva e seguro prestamista

– Reajustes anuais pelo INCC

– Não recebe o bem imediatamente

– Costuma ter prazos inferiores aos do financiamento

– Imóveis podem se valorizar mais que o reajuste do INCC da carta de crédito

– Precisa pagar aluguel de onde mora até ser contemplado

– Risco de crédito dos demais participantes (inadimplência)

Financiamento:

– Pagamento de juros

– Reajustes anuais pela TR

– Pode usufruir do bem imediatamente

– Possível diluir as parcelas em prazos mais longos

– Trava o preço do imóvel

– Poderá ter um bem mais valorizado ou desvalorizado ao fim do financiamento

– Risco de crédito do banco

Conhecidas essas características, já podemos concluir que são modalidades bem distintas que devem ser analisadas muito além da questão financeira.

Comparação Financeira

Fiz uma simulação utilizando os seguintes parâmetros:

Valor do imóvel desejado: R$ 300.000,00

Prazo para quitação: 180 meses (15 anos)

Financiamento pela Caixa Econômica Federal: juros de 8% + TR

Valor inicial do financiamento: R$ 2.753,77

Reajuste anual pela TR: 1%

Tabela SAC com parcelas decrescentes

Valor total pago: R$ 495.678,83

Consórcio pela Porto Seguro: 17% de taxas

Valor inicial do consórcio: R$ 1.839,92

Reajuste anual pelo INCC: 7%

Parcelas que crescem anualmente devido aos reajustes

Valor total pago: R$ 560.824,45

Em ambos os casos, foi considerado que a pessoa não tinha nenhum valor inicial. Portanto, não foi computada nenhuma entrada para o financiamento e nem possíveis lances para o consórcio.

Olhando somente financeiramente, o consórcio seria desvantajoso, pois desembolsaria 65 mil reais a mais que no financiamento.

casa cofreO grande vilão no caso do consórcio é o reajuste anual pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), que nos últimos anos têm apresentado uma média na casa dos 7% (em 2015, foi de 7,21%). Pode não parecer muito, mas isso eleva uma parcela de R$ 1.839,92 no primeiro ano para R$ 4.744,29 no 15º ano do consórcio.

É claro que o INCC pode ser mais baixo do que isso em determinados períodos, mas também pode ser mais alto. Além disso, talvez seja possível encontrar um consórcio com taxas mais atrativas, mas a projeção que fiz foi com o mais econômico que encontrei.

Outro custo que acabei não computando pelo lado do consórcio foi o do aluguel enquanto você não for contemplado com a carta de crédito. Afinal, enquanto você não tem a carta de crédito, precisa morar em algum lugar, certo?

Comparação Subjetiva

A questão financeira não é a única que deve ser avaliada, pois as características dos dois produtos são muito mais importantes do que os valores.

O grande atrativo do financiamento é ter o direito de usufruir do imóvel imediatamente, mesmo sabendo que ele ainda não é totalmente seu. Além disso, o financiamento “trava” o valor do imóvel, ou seja, não importa se o quanto ele valoriza durante o período do pagamento, pois o que você deve pagar são os juros e o reajuste pela TR, não a valorização do imóvel em si. Você pode acabar terminando o pagamento do imóvel e ele valer até mais do que você pagou. Porém, o mais comum é ele valer bem menos do que o seu desembolso, por conta dos juros embutidos.

Já o consórcio é para aqueles que estão planejando comprar a casa própria, mas ainda não escolheram o imóvel, a localização ou mesmo porque não querem ainda se mudar.

No entanto, para essa situação, o mais indicado mesmo seria poupar e investir o dinheiro para tentar comprar à vista ou mesmo dar uma boa entrada em um financiamento.

Estratégias com o Consórcio

Há alguns tipos de estratégia interessantes com o consórcio que podem torná-lo até mais interessantes que o financiamento.

Sabemos que muitas pessoas entram em um consórcio, mas acabam desistindo no meio do caminho, seja por não ter dinheiro para manter os pagamentos ou por mudanças de planos mesmo. Nesses casos, elas podem vender a participação delas, muitas vezes por valores inferiores ao quanto já pagaram, para poderem ter o dinheiro em mãos. Caso você tenha um valor legal já acumulado, pode comprar esse consórcio em andamento, pois já estará mais perto de uma contemplação e ainda terá comprado com desconto.

Outra estratégia seria entrar no consórcio desde o começo, aguardar os primeiros meses em que os mais abonados e ansiosos darão lances altos e depois oferecer um lance alto seu para ter mais chance de conseguir a contemplação no início. Não é nada garantido, mas você coloca a probabilidade a seu favor.

Uma outra situação é de uma pessoa já contemplada com a carta de crédito, mas que não conseguiu resolver os trâmites burocráticos (pode ser que esteja com o “nome sujo”). Então, você pode comprar a carta contemplada, com desconto, e assume os pagamentos restantes do consórcio.

Enfim, essas são algumas possibilidades que conheço para utilizar o consórcio de maneira mais eficaz. Caso você conheça outros métodos, deixe um comentário no final do artigo para conversarmos!

Considerações Finais

Como pudemos ver, a melhor opção para a aquisição da casa própria continua sendo poupar e investir para acumular um excelente valor.

Com o dinheiro em mãos, é possível barganhar um belo desconto para compras à vista, dar uma boa entrada em um financiamento para reduzir o tempo pagando juros ou até mesmo dar lances ou comprar carta de crédito já contemplada em consórcios.

Portanto, se você tem realmente esse sonho da casa própria, planeje-se, poupe e invista. Enquanto isso, morar de aluguel não é uma opção ruim, pois você estará pagando um valor muito menor do que pagaria em um financiamento ou consórcio.

Também convido você para ler o artigo do meu sócio Leonardo Batistella “Por que não compensa comprar um imóvel?”, em que ele conta sobre a própria escolha de não comprar um imóvel ainda e investir esse valor para multiplicar mais rapidamente o patrimônio (e poder comprar até dois ou mais imóveis no futuro).

Espero que essas reflexões possam ajudá-lo em sua decisão e deixe um comentário para discutirmos mais sobre o assunto!

Grande abraço!

Vitor Hernandes

Vitor fernandesVitor Hernandes é paulistano e tem 26 anos.
Tradutor e Bacharel em Letras pela USP.
Estuda educação financeira e investimentos por hobby, além de atuar no mercado financeiro desde 2011.
Os fundos imobiliários são seus preferidos, mas pensa que a diversificação é o que oferece a melhor relação risco-retorno.

 

VOCÊ TAMBÉM PODE PRECISAR…

TESTE EXCLUSIVO: QUE INVESTIDOR VOCÊ É?

VÍDEO CANAL ME POUPE! ALUGAR É MELHOR QUE FINANCIAR!

Me Poupe! no seu email

Cadastre-se, é na faixa!

Nathalia Arcuri

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *