Violência financeira contra idosos: Aonde fomos parar?

Nunca antes na história destes país os velhinhos apanharam tanto da própria família. Esta violência não deixa marcas pelo corpo, mas pode ser igualmente dolorosa. E o que você pode fazer para proteger seus velhinhos queridos e fofinhos? Nath responde!

Por Nathalia Arcuri

Espancamento, abandono, extorsão… Imagine-se velho e vulnerável a tudo isso. Difícil imaginar que existam pessoas capazes de se aproveitar da fragilidade de um idoso para explorá-lo, seja lá da maneira que for. E pior: a covardia, na maioria das vezes, começa dentro de casa e de um jeito silencioso.

A secretaria de Direitos Humanos divulgou hoje um número preocupante: 21% das denúncias de abusos contra idosos se referem à violência financeira. Como assim? Eu explico:
O idoso tem lá a sua aposentadoria, que aliás nos últimos anos ganhou fôlego e poder de compra. Ai ele e a família descobrem a maior praga na vida dos aposentados: o empréstimo consignado. Este tipo de crédito muitas vezes é oferecido ao idoso via telefone e bastam alguns minutos com um atendente simpático para cair numa cilada. O pagamento da dívida é descontado direto na folha de pagamento do INSS, obedecendo o limite de 30% do valor total da aposentadoria. Por exemplo: Se a sua avó ganha R$1000,00, pode comprometer até R$300,00 mensais com este tipo de dívida.

Acontece que a sua avó nunca quis fazer o tal empréstimo, mas tem aquele sobrinho que descobriu as facilidades do consignado e como não tem registro em carteira, deu um jeito de convencer (ou de enganar) a doce vovozinha.
E isso é o de menos! Uma assistente social entrevistada pela Folha de São Paulo citou o caso de um filho que tentou gravar as impressões digitais do próprio pai no leito de morte na UTI para fazer um crédito consignado no nome do aposentado.

Ludibriar, enganar e tirar vantagem de idosos é crime! E sabe qual é a única maneira de protegê-los do perigo? Repassando a informação. Agora que você já sabe o que são os empréstimos consignados e que manipular velhinhos não é legal, faça a sua parte, compartilhe a informação e seja uma velhinha segura e feliz!

Nathalia Arcuri – Me Poupe

photo-nathalia

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Me Poupe! no seu email

Cadastre-se, é na faixa!

Nathalia Arcuri

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Um comentário em “Violência financeira contra idosos: Aonde fomos parar?

  • 26 de agosto de 2016 a 7:57 am
    Permalink

    Minha mãe está passando por uma situação parecida. Pensionista do Exército, teve empréstimos de valores altos em seu nome, outras dívidas no SPC e SERASA, inclusive a compra de um carro zero kilômetro… O problema maior disso tudo é que não tem coragem de reclamar ou denunciar, pois quem, realizou tais ações, foi sua própria filha… É realmente preocupante, principalmente porque me sinto de mãos atadas… Não posso fazer a denúncia, pois a mesma considera que minha irmã não fez por mal.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *