Na saúde, na doença... e na riqueza, quando?

02 de setembro | 2013

Tenho ouvido queixas frequentes a respeito do mundo paralelo em que alguns casais vivem quando o assunto é dinheiro. Ouço com cautela, pondero quando questionada, mas é difícil meter o bedelho na vida financeira alheia. Pensando nisso me propus a discorrer sobre o assunto. Tudo para tentar responder: e na riqueza, quando?

Ele quer ir para a praia, você já planejou um tour pela Europa. Ele pensou em comprar aquele Home Theater que é um espetáculo, parece até que o Avatar vai pular em cima de você, uma loucura. Você achou melhor guardar o dinheiro para quando precisar alisar de novo os cabelos.

Tudo parecia tão fácil quando eram namorados… Ele pagava a conta do jantar, você o surpreendia com um presente especial. Só que ninguém parou pra discutir como ambos enxergam um detalhe da relação chamado dinheiro. Não é o assunto mais picante, é verdade, mas faz toda a diferença quando a meta é passar a vida ao lado de outra pessoa.
Neste ponto do texto a pessoa começa a se arrepender de ter casado, mas calma, pra tudo tem um jeito!

Se não  conversaram no passado, faça isso o quanto antes. Se descobrir que o seu lado da balança está mais pesado pense em como esses gastos extras podem atrasar a realização dos sonhos. O quê, nunca planejaram os sonhos de consumo? pode ser um carro novo, uma viagem no final do ano, uma TV nova. Não importa. Em dois tudo fica mais fácil. O conceito é matemático. Dois é a soma, não a subtração,  a divisão nem a multiplicação.

Se precisar, coloque os números no papel. Faça uma planilha com sonhos de consumo de curto, médio e longo prazo e para cada um deles reserve uma quantia diferente, mês a mês. Assim como um casamento se constrói com paciência, tolerância, doação e amor, uma bela vida financeira a dois depende de empenho e de um certo desapego aos desejos de quando se era apenas um.

Nathalia Arcuri – Me Poupe

photo-nathalia

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a deixar seu comentário