IMÓVEIS FICAM MAIS CAROS COM A INFLAÇÃO?

06 de fevereiro | 2018

Você já sabe tudo sobre inflação (se não sabe ainda fique de olho no próximo texto da URBE.ME). Ninguém quer reviver o período de intenso sobe e desce dos preços das coisas.
Por URBE.ME

Aprendemos a lidar com ela. E uma das lições é que investir em imóveis pode ser uma forma de proteger o dinheiro em tempos de inflação e, como se isso já não fosse suficiente, obter rentabilidades atrativas.

Existem diversos índices que medem os efeitos da inflação nos preços de bens e serviços. Os principais são os tradicionais IPCA – medido pelo IBGE – e o IGP-M – calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Porém, o setor da construção civil possui um índice de preços próprio, chamado de Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), também calculado pela FGV, e mede, mês a mês, a alteração de preços de itens – materiais, mão-de-obra e matéria-prima – que impactam o custo de construções habitacionais em sete capitais do Brasil.

O INCC não varia linearmente em relação ao IGP-M e IPCA, pois o processo inflacionário impacta diferentes produtos com intensidades diferentes. Apesar disso, o índice de custos da construção sempre anda próximo aos índices que medem os preços gerais. Isto ocorre porque uma das causas do aumento de preços é compartilhada por todos os segmentos: o aumento da oferta monetária.

Ok, mas a gente quer saber: o INCC afeta as negociações e os investimentos imobiliários?

Sim. O INCC é utilizado como base para o reajuste do valor de imóveis em construção. Para a redefinição de preço das unidades à venda a cada mês, por exemplo, as incorporadoras utilizam o índice como referência.

Além disso, no parcelamento para a compra do imóvel, o INCC incide sobre o valor total que resta a quitar. Assim sendo, o INCC indexa e reajusta automaticamente o valor de todos os imóveis vendidos, exceção das unidades cujo comprador realizou o pagamento à vista. Por estas razões, estar com o seu dinheiro alocado em imóveis é uma forma de se proteger da inflação automaticamente, pois é válido dizer que à rentabilidade do investimento sempre será acrescida de um fator de correção monetária baseado no INCC.

Exemplos práticos

Num dos empreendimentos que teve captação feita via URBE.ME, as rentabilidades estimadas estavam entre INCC+13,1% e INCC+17,2% ao ano. O que isso quer dizer? 1) a rentabilidade tem correção pelo índice de custos da construção. 2) o investimento “dá uma curva” na inflação. E assim fácil compreender que o investimento imobiliário possui o poder de proteger o seu capital da desvalorização da moeda e ainda oferecer um ganho real consistente.

 

avatarPDF_menor

Sócio fundador do URBE.ME, a primeira empresa de investimento imobiliário online do Brasil.  Acredita no futuro mais colaborativo. Entende que o mercado da construção civil é um dos mais importantes em qualquer sociedade, representando 40% do PIB mundial e com vontade de trazer inovação a este mercado busca com seu trabalho aproximar incorporadores inovadores e investidores de todos os portes.

 

materiais-ricos-me-poupe

 

Veja mais posts de URBE.ME

Ainda vale investir em imóveis?

5 fintechs para repensar como investir o seu dinheiro

 

 

 

Você também pode gostar

Ainda vale investir em imóveis?

Evite este erro básico ao planejar a sua aposentadoria!

5 MAIORES DILEMAS SOBRE TESOURO DIRETO! Leia e invista hoje

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Letícia 10 de February | 2018

Tudo sobe com a inflação, não tem jeito.