Comprar não é pecado II – A MISSÃO


Aleluia! Estamos de volta, Nath não nos demitiu e voltamos aqui pra desafiar o senso comum e mostrar pra vocês que dá pra comprar as brusinha tudo que a gente tanto quer sem abarrotar o guarda-roupas e nem ficar na sofrência quando a fatura do cartão chegar. Bora?

calma, menos sofrência

Na coluna do mês passado (se você não leu e perdeu a emoção de ficar se perguntando se estaríamos de volta ou não nesse mês, Clica Aqui pra ler)  a gente falou de uma regrinha básica de como avaliar uma possível compra. E hoje vamos continuar nesse assunto…

Oi? Como assim? Tá certo isso?
Oi? Como assim? Tá certo isso?

Sim, a gente é insistente e vai bater nessa tecla: comprar pode ser legal e até nos fazer economizar ao longo do tempo se a compra for bem pensada e racionalizada.

Por isso, nada de fazer compras se estiver – marque um “X”:

(   ) Triste

(   ) Ansiosa

(   ) Eufórica (tipo, muito feliz – como logo depois de receber uma notícia muito boa, sabe?)

(   ) Depois de receber o 13º/comissão/premiação/bônus

(   ) Depois de tomar um pé na bunda

(   ) Na TPM

(   ) Porque tá chovendo

(   ) Porque tá calor

(   ) Porque hoje é seu aniversário

(   ) Porque é aniversário do seu ex

(   ) Porque é aniversário da atual do seu ex

(   ) TODAS AS ANTERIORES

Desculpem, a piada é ruim mas somos esse tipo de pessoa... 😊
Desculpem, a piada é ruim mas somos esse tipo de pessoa… 😊

Acertou quem respondeu “todas as anteriores”. E por que? Porque em todas essas situações temos muitas emoções embolando o meio de campo e dificultando a sua vida na hora de avaliar friamente se uma compra faz sentido ou não.

Por exemplo: se recebemos um dinheirinho extra ficamos nos achando rycas pra torrar sem pensar e não damos a essa grana o destino merecido dela (pagar contas, dívidas, investir… sei lá – favor fazerem o que a Nath mandar).

sou rica!

Se estamos felizes, fechamos os olhos para eventuais poréns, do tipo:

Você emoção: “Olha, um unicórnio!”

Você razão: “Cê jura? Vai fazer o quê com um unicórnio?”

Você emoção: “Não importa, eu sempre quis ter um unicórnio.”

Você razão: “Tá, mas vai fazer o quê com isso?”

Você emoção: “Eu sempre quis ter um unicórnio. E fim.”

Você razão: …

Você emoção
Você emoção

Você razão
Você razão

E se estamos tristes, meu amigo… aí o bicho pega, porque a gente acha que “merece” tudo o que a gente acha que quer só porque estamos tristes/na TPM/tomamos um pé na bunda.

tristeza

A verdade é que o grande problema de fazermos compras emocionalmente instáveis é que a gente tende a encontrar pretextos para justificar uma compra e não raciocinamos direito. Agora, se estamos emocionalmente centradas, tendemos a dar atenção a nossa razão e a avaliar, de verdade, se aquela compra faz sentido real oficial.

Por isso, antes de ir às compras, não deixe de fazer uma autoanálise no sentido de entender se você está meio triste ou até feliz demais. Aliás, se você desconfiar que não está 100% no seu normal, melhor passar longe do shopping e não entrar em nenhum e-commerce.

capisce?

No próximo post a gente vai continuar esse assunto e trazer mais dicas pra ajudar vocês a avaliarem o custo x benefício de uma possível compra.
E se vocês tiverem sugestões de temas ou dúvidas, mandem pra gente aqui nos comentários! 😉

Beijos e até mês que vem,

Carol e Carlinha
Assinatura de Estilo

Instagram: @estiloassinatura
Facebook: Assinatura de Estilo

www.assinaturadeestilo.com.br
www.programadescubraseuestilo.com


VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR

LOOKS GESTANTE: COMO SE VESTIR BEM GASTANDO POUCO

QUANTO CUSTA O SEU TEMPO? LEIA ANTES QUE SEJA TARDE!

ERA BRINCO, VIROU PINGENTE! RECICLE SUAS BIJUS E ECONOMIZE NO LOOK!

Me Poupe! no seu email

Cadastre-se, é na faixa!

Nathalia Arcuri

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

2 comentários em “Comprar não é pecado II – A MISSÃO

  • 3 de maio de 2017 a 10:01 am
    Permalink

    Um truque que eu uso para não comprar o que não posso/preciso é agir como se fosse fazer compra no supermercado. Nós, homens ou mulheres, quando vamos ao mercado não levamos uma listinha do que está FALTANDO em casa? Ao nos atermos a esta listinha, não corremos o risco de comprar mais 5 quilos de arroz ou feijão só por que está mais barato/em oferta e assim acabar abarrotados dessas mercadorias em casa. Por que não fazer a mesma coisa com nossas roupas? Se eu estou precisando de tênis ou sapatos, eu só vejo tênis e sapatos na minha frente. Nem passo pela seção de calças, paletós, etc. Assim, evito a tentação de comprar o que não preciso. Eu simplesmente checo o que tenho no meu guarda-roupa e faço a “lista”: preciso de cuecas, meias e sapatos. Na loja, será muuuito difícil eu comprar camisas, calças ou cintos. Tentem fazer o mesmo e verão se não fica mais fácil comprar só o que é necessário! Abraço!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *