Alugar é melhor que financiar! Saiba porque!

Alugar e pegar o imóvel emprestado ou financiar e pegar o dinheiro emprestado? Saiba o que colocar no papel antes de tomar a decisão nesse vídeo!

Veja o artigo completo aqui.

 

Me Poupe! no seu email

Cadastre-se, é na faixa!

Nathalia Arcuri

Sou a Nathalia Arcuri, poupadora por opção, jornalista por profissão e especialista em finanças pessoais por vocação.

11 comentários em “Alugar é melhor que financiar! Saiba porque!

  • 9 de novembro de 2016 a 1:40 pm
    Permalink

    Nath, adorei o vídeo, sempre acompanho suas publicações e tem me ajudado muito a organizar as finanças, brigadão!
    Mas vamos ao que interessa: nesse calculo você considerou a inflação anual desses 15 anos?
    Considerando uma inflação média de 8% ao ano, esses 15 anos não se tornariam 20 anos da mesma forma?

    Sou ruins com números, só funciono mesmo com questionamentos hahah

    Mais uma vez, parabéns pelo sucesso e pelo serviço social que tem realizado.
    Obrigado!

    Responder
  • 11 de novembro de 2016 a 1:39 pm
    Permalink

    PAI = tudo isso é verdade verdadeira mas não esqueça da disciplina para aplicar a diferença em algo líquido e certo.

    Responder
  • 13 de novembro de 2016 a 9:31 pm
    Permalink

    Olá Nath, descobri esse conceito por meio do livro Casais inteligentes enriquecem jutos do Cerbasi em 2008, desde então moro de aluguel e a diferença do valor, adquiri um imóvel que já está alugado ;-).

    Responder
    • 14 de novembro de 2016 a 9:42 am
      Permalink

      Que bacana Cleiton!

      Adoro exemplos práticos que deram certo.
      É ótimo pra gente se inspirar!
      Parabéns!

      Responder
  • 18 de novembro de 2016 a 2:57 pm
    Permalink

    Olá. Mas não temos que analisar outros fatores também, além do financeiro ? Primeiro e normalmente, as pessoas sempre já têm uma entrada, seja um dinheiro guardado ou até mesmo o FGTS a utilizar, assim, o valor financiado normalmente não é o total. Claro que no final estamos dando o valor total. Neste exemplo dado, valor de R$ 475.000,00 , vamos dizer que a pessoa já tem R$ 150.000,00 para dar de entrada. Assim, o saldo restante é que vai ser financiado , e desse jeito a parcela será menor. E é nessa parcela que o brasileiro faz a comparação com o aluguel, decidindo normalmente pelo apto financiado. Outro fator também é que viver de aluguel por tanto tempo nos deixam vulneráveis , tipo : o proprietário não querer alugar mais e pedir o imóvel etc… por isso, nossos pais, tios etc mais conservadores nos aconselham em optar pelo financiamento. Bom, só acho kkkk

    Responder
  • 18 de novembro de 2016 a 5:10 pm
    Permalink

    Nathalia, boa tarde! tudo bem?! E com relação a financiamento de carro? Preciso comprar um carro para meu trabalho (a função exige que se tenha carro, pois faço muitas visitas à Indústrias na cidade e região) e também para dar minhas aulas na casa dos alunos. Há 3 meses estou morando sozinha em outra cidade e não posso mais usar o carro da minha mãe. Tenho usado ônibus e Uber por muitas vezes enquanto faço pesquisas sobre financiamento. Não tenho nenhum capital para entrada. Sou dessas que nunca conseguiu guardar dinheiro em 28 anos, mas estou tentando mudar gradativamente. Sei que taxas de juros de consórcios são bem mais baixas que financiadoras normais. Porém também não posso esperar sabe-se lá daqui quantos anos ser contemplada. Procurei uma cooperativa (Coopercitrus), e pelos cálculos, a taxa de juros de cooperativa também é bem menor, semelhante a de consórcios. Gostaria da sua ajuda, sua opinião, o que eu faço para não fazer um financiamento onde no calculo final, as pessoas pagam por 2.

    Responder
  • 20 de novembro de 2016 a 7:15 pm
    Permalink

    Parabens Nathali pelo blog muito bom mesmo principalmente para nos que recebemos salários baixos e teremos que nos equilibrar no Brasil com ele.
    aqui voce teria alguma instrução sobre reeducação financeira??? Tipo reeducação alimentar kkk
    tipo assim pra alguem que chutou o balde por um tempo e precisa se readequar ao sistemas sinao vao pro buraco kkkk.
    forte abraço
    eduardo

    Responder
  • 29 de novembro de 2016 a 2:57 pm
    Permalink

    Me inscrevi no canal e adoro seus videos. Tenho uma questao interessante sobre comprar ou financiar um imovel. É o seguinte. Ao final do ano de 2016 serei transferido para Vitoria-ES e com isso poderei usar o FGTS (220mil) para aquisição de outro imovel. Possuo um apartamento no Rio numa área de boa valorização que vale hoje cerca de 800 a 900 mil. O imovel de meu interesse em Vitoria custa os 580 mil. Outro detalhe, eu aluguei meu imovel do Rio por 3mil e com esse aluguel pensei em pagar as prestaçoes de um financiamento e fazer uso do FGTS na compra do apartamento de Vitoria. Ou seja 360 mil financiados em 30 anos em que as parcelas seriam pagas pelo aluguel do apartamento que ja possuo. O Simulador da CEF apresenta parcela de 3500 e o aluguel do apartamento do Rio praticamente pagaria o segundo imovel, considerando que fique alugado por 30 anos( que ja e uma coisa complicada, mas não impossível).

    Tenho três opçoes:

    1) Vender o imovel do Rio (800mil) e somar ao valor do FGTS (220mil) para comprar a vista o segundo imovel (580mil, que ai seria o unico) e o restante (440mil), menos o imposto sobre ganho de capital teria 410 mil que colocaria no tesouro selic ou renda fixa.
    Em menos de 10 anos teria mais de 2 milhoes (considerando rendientos de 0,75%am)

    2) Manter o imovel do Rio alugado com renovaçoes consecutivas do imovel. NÂO comprar nada e NÂO usar o FGTS. Do aluguel do Rio de 3mil usaria 2mil reais para pagar aluguel e condominio num apartamento identico ao desejado na compra. Guardando 1mil reais por mes e aplicando em renda fixa ou tesouro.
    Em menos de 10 anos teria mais de 1,2 milhoes (considerando rendientos de 0,75%am).

    3) Vender o imovel do Rio (770mil) e aplicar tudo em renda fixa, tesouro ou dividir a aplicação em varias modalidades conservadoras de baixo risco. Não comprar nenhum apartamento ou casa e viver assumindo um custo de aluguel x rendimento.
    Em menos de 10 anos teria mais de 2,5 milhoes (considerando rendientos de 0,75%am).

    Das opçoes acima, a que mais me agrada é a primeira, pois, apesar da valorização do imovel no Rio, os rendimentos que teria com esse valor aplicado no tesouro ou rena fixa renderiam bem mais que o aluguel e/ou valorização. Alem de poder desengavetar o FGTS e com parte do valor de venda do imovel do Rio eu pagaria a vista o imovel de 580mil de Vitoria, podendo barganhar um valor mais baixo. O restante aplicaria em tesouro ou renda fixa e esse seria o plano de patrimonio de ma vida. A terceia opção também é um bom plano de patrimonio.

    Qual sua opiniao?

    Responder
  • 5 de dezembro de 2016 a 12:38 pm
    Permalink

    Nathalia,
    Vale a pena reformar um imóvel alugado???? Tipo, pintar e fazer melhorias na casa. Minha mãe quer fazer, mas, meu irmão acha que é desnecessário (o teto está sujo de manchas por infiltração e as paredes não veem uma tinta há muitos anos.
    Eaí, vale a pena???
    Adoro suas dicas 😉
    ps: Esta casa/sobrado é cedida(minha mãe é uma dos sete herdeiros, e a família está em guerra,por isso que vão alugar as casas que são 3 e o espaço comercial que é um bar em baixo (todos ocupados por membros da família).
    ps2: Me respondi por aqui, meu irmão acompanha seu canal no yt e eu não quero deixa-lo chateado, pois gosto muito dele mas queria uma outra opinião. bjo.

    Responder
  • 17 de dezembro de 2016 a 4:36 pm
    Permalink

    Olá Nathy. Eu tenho uma dúvida. Caso eu receba um imóvel através de herança, vale a pena vendê-lo e investir o valor recebido???

    Obrigado

    Responder
  • 14 de março de 2017 a 3:05 pm
    Permalink

    Olá Nath, adorei o blog! Minha situação é a seguinte: estou querendo adquirir o meu 1º imóvel, de mais ou menos R$250.000,00, dando uma entrada de R$ 100.000,00 e financiando o restante pela Caixa. A minha simulação, taxa de juros efetiva de 9,749% + TR%, deu uma parcela de mais ou menos R$ 1.656,00 sendo que as parcelas seguintes serão decrescentes. A projeção de aluguel, em média está saindo a R$ 1.200,00, R$ 1.300,00.

    Nessa situação a diferença da compra para o aluguel é pouca. Vc me aconselharia o que? Comprar ou alugar e aplicar os R$ 100.000,00. Meu pai irá me ajudar com essa quantia e ele insiste em dizer que é melhor eu comprar e não alugar. No seu exemplo, de fato a diferença era grande, já no meu é pouca e sem contar que o valor de aluguel reajusta também né?

    Obrigado pela atenção e fico aguardando sua resposta.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *