10 dicas para não cair em cilada nas compras de Dia dos Pais

10 de agosto | 2018

Em datas comemorativas, a chance de cair em pegadinhas na hora de fazer compras é ainda maior! Fique atento para acertar no presente sem prejudicar o bolso! 

 

Por Proteste

Já comprou o presente do seu pai?

 

 

Se não for possível este ano comprar um presente, não se esqueça daquele abraço apertado, de um almoço em família, de um passeio ou, caso esteja longe, que tal uma carta, um vídeo ou uma música?

 

 

Caso você tenha se programado e consiga comprar um presente que realmente caiba no seu bolso, fique atento às dicas:

 

Como dissemos no artigo anterior, o mercado é impulsionado por datas festivas e o Dia dos Pais é uma das mais fortes, ficando atrás só do Natal e do dia das Mães.

Por isso:

 

Dica 1:

Pesquise preços, a variação entre as lojas costuma ser significativa;

 

Dica 2:

Nem sempre presentes mais caros são os mais adequados, preço é diferente de valor;

 

Dica 3:

Quer comprar pela internet? Escolha empresas conhecidas. Caso não seja possível, redobre a atenção. Pesquise reclamações da loja ou do vendedor em canais como o Reclame;

 

Dica 4:

Antes de concluir a compra, salve tudo: anúncios, contatos, detalhes do produto, forma de pagamento e política de troca. O Código de defesa do consumidor obriga que o vendedor cumpra toda a oferta veiculada;

 

Dica 5:

Comprou um produto na internet e se arrependeu? Você tem até 7 (sete) dias para desistir da compra, sem necessidade de explicar o motivo;

 

Dica 6:

A empresa deverá arcar com os custos de postagem para retorno da mercadoria, caso você desista do produto;

 

Dica 7:

Atenção à política de troca. Todo site confiável precisa ter esse campo explicando para o consumidor sobre a logística de troca, mencionando quais os prazos e as condições para a devolução;

 

 

Dica 8:

Outro indício para ver se o site é confiável é a existência de canais de fácil acesso para comunicação com os consumidores, como chat, telefones para contato, endereços e informações como CNPJ;

 

Dica 9:

O produto chegou com defeito e agora?

Nesse caso você tem 30 ou 90 dias para reclamar com o lojista ou com o fabricante. 30 dias se o produto for não durável, como no caso de alimentos, por exemplo, e 90 dias para produtos duráveis, celulares, etc.

Os problemas que não são de fácil constatação (a bateria de um celular que estufa após 6 meses, por exemplo é chamado pela lei de defeito oculto.) Nesses casos, o prazo de 90 dias começará a partir da data que você descobrir o vício;

 

Dica 10:

Se o fabricante não consertar o produto em 30 dias, a lei determina três alternativas, a escolha do consumidor:

– substituição do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições;

– a restituição imediata do valor pago;

– o abatimento proporcional do preço, caso seja possível utilizar o produto como está.

 

 

PROTESTE é uma entidade civil sem fins lucrativos, apartidária, independente de governos e empresas. Há 17 anos, lutamos pelos seus direitos, consumidor. A gente faz de tudo um pouco para garantir que você não seja prejudicado: testes comparativos, campanhas, manifestações, participações em audiências públicas e muitos mais. Além disso, produzimos conteúdos de qualidade para melhorar suas experiências de compra e garantir que você não seja enganado. Precisando de ajuda de especialistas em Direito do Consumidor? A PROTESTE é a escolha certa!

 

Este texto é de responsabilidade do autor do artigo e não reflete necessariamente a opinião do Me Poupe!

 

Você também pode gostar

Dia dos Pais - Acerte no presente

Como ser um craque na Copa do Consumo

O Apocalipse - Quando o 13º encontra com a Black Friday

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seja o primeiro a deixar seu comentário